fbpx
evolução das redes sociais
DestaqueRedes Sociais

A evolução das redes sociais

Pare por um instante e pense: quanto tempo você gasta usando as redes sociais por dia?

Atualmente, o brasileiro fica em média 3 horas e 31 minutos online nestas ferramentas. Muitos já acordam com o celular na mão, dando aquela olhadinha básica no Instagram, no Whatsapp e na hora do almoço costumam conferir os assuntos do momento no Twitter e porque não dar uma observada no fim da tarde no LinkedIn, TikTok e no Facebook para ver as últimas atualizações.

Tenho certeza que você se identificou com alguma dessas situações ou várias delas. Esse comportamento tem se tornando cada vez mais frequente entre os internautas, principalmente, quando falamos do público jovem.

Por isso fica até difícil imaginar uma sociedade sem estes recursos presentes no cotidiano.

Desde que estas mídias surgiram, elas têm ganhado muito poder, a ponto de interferir na forma como as pessoas se relacionam dentro e fora do ambiente digital, sem esquecer das mudanças na comunicação e na forma de consumir informações, produtos e serviços. Dessa forma, elas impactam na sociedade culturalmente e socialmente falando.

E para agradar e prender a atenção desse usuário, novas ferramentas são lançadas e aperfeiçoadas a todo momento.

Você sabe quais foram as primeiras redes sociais? Como elas deixaram de existir e quais as que ficaram? Quais são as interferências nas mídias atuais?

Para responder essas dúvidas, preparamos esse post para te contar de forma resumida, sobre a evolução dessas plataformas e sua popularidade nos dias de hoje. Acompanhe!

Onde tudo começou…

Se você nasceu na década de 1990 com certeza você se recorda das primeiras redes sociais que conheceu, como era a sua velocidade, os recursos e chega até a sentir uma saudade dessa época, não é verdade?

Mas, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, estas mídias começaram a aparecer muito antes dessa época, por volta de 1979.

As primeiras plataformas que surgiram são de fundamental importância quando analisamos o cenário atual, pois, elas mostraram os melhores caminhos que foram traçados, testaram estratégias diferentes de atingir esse público e fizeram parte da transformação digital provocada pela nova sociedade e principalmente pelos avanços tecnológicos de desktops e smartphones, sem esquecer da pluralidade do acesso à internet.

Por isso, para você conhecer um pouco mais dessas redes, preparamos uma lista em ordem cronológica das ferramentas que mais se destacaram e interferiram no cenário em que vivemos hoje, confira!

1979 – Usenet

evolução das redes sociais 01

Pioneira das mídias sociais, a Usenet foi desenvolvida em 1979, pelos estudantes da Duke University, Tom Truscott e Jim Ellis. 

Eles usavam alguns microcomputadores para interligá-los usando um protocolo chamado de UUCP. A ferramenta parecia um fórum, onde os textos eram publicados e podiam ser visualizados por determinados grupos. 

Com o tempo, começaram a surgir diversos servidores espalhados pelo mundo que “replicavam” essas mensagens para todos os usuários. Sendo que essas pessoas se inscreveram para participar da rede. 

Vale ressaltar que a plataforma não possuía uma estrutura centralizada, e que ela também foi uma das inciantes do sistema de RSS feed. 

A Usenet foi responsável por muitos termos que usamos popularmente hoje em dia, como o “spam” ou o “FAQ” . 

Fim dos anos 1970 – Bulletin Board Systems (BBS)

evolução das redes sociais

O  Bulletin Board Systems (BBS) era mais ou menos o que conhecemos hoje como provedores web com e-mail, fóruns, bate-papo e download de arquivos que funcionavam de forma isolada. 

Para usar a plataforma, os usuários precisavam ter os códigos (conjuntos de scripts e textos) para customizar e colocar para instalar em seu computador. 

Após essa etapa, bastava ligar à uma rede telefônica usando um modem. Dessa forma, os usuários precisavam de senha para se logar e conectar com outros participantes. A ferramenta ficou ativa até aproximadamente 1990. 

1988 – Internet Relay Chat (IRC)

a evolução das redes sociais

Lançado em 1988, por Jarkko Oikarinen, o sistema IRC revolucionou a comunicação virtual do momento. Para funcionar, a ferramenta precisava apenas de um servidor ligado 24 horas para manter a comunicação entre os usuários. Esse aparelho, na época, era hospedado dentro de grandes universidades. 

O principal objetivo desse recurso era estabelecer a conectividade entre os usuários, para que eles pudessem transmitir arquivos e manter contato. Os canais permitiram tanto conversas públicas quanto privadas. 

O software começou a criar popularidade e se expandiu rapidamente a partir de 1994, quando servidores públicos e gratuitos como o Frenode e Quakened começaram a permitir o acesso de qualquer usuário, desde que ele tivesse uma conexão com a internet. 

Muitos especialistas costumam chamar o Internet Relay Chat (IRC) como o pai do famoso ICQ, visto que ficou conhecido como o primeiro programa que permitia a transmissão de mensagens entre computadores. E talvez, o avô do Whatsapp, concorda? 

1995 – ClassMates

evolução das redes sociais

Considerada pelos especialistas como a primeira rede social, o ClassMates foi criado pelo norte-americano Randy Conrads. Para usar a plataforma o usuário precisava pagar, mas isso não impediu o sucesso nos Estados Unidos e no Canadá. 

A popularidade da ferramenta foi significativa para a época, e ainda nos anos 1990, a plataforma somou 50 milhões de usuários, segundo dados divulgados pela empresa. 

O conteúdo utilizado no ClassMates reunia temas como filmes, músicas e fotografias. Mas, a principal atração da ferramenta eram os anuários escolares, no qual o site digitalizava os anuários conhecidos como Yearbooks. Os membros que gostavam desse tipo de recordação, adoravam a possibilidade de rever os amigos e os momentos que marcaram uma época. 

1997- Sixdegrees

evolução das redes sociais

Essa plataforma foi lançada com o propósito de oferecer ferramentas para que as pessoas se conectassem com amigos e desconhecidos e ainda criasse grupos. Algo inédito até então! 

Os dados pessoais dos usuários, as preferências e os conhecimentos eram solicitados apenas para realizar o cadastro na plataforma. E essas informações eram direcionadas para os perfis sociais ou profissionais similares. 

Inspiração para outras redes sociais da época, o Sixdegrees chegou a ter 3,5 milhões de usuários, mas encerrou suas atividades em 2001. 

1997 – ICQ

evolução das redes sociais

Na época em que os provedores de conexão discada dominavam a internet, o lançamento do programa de mensagens ICQ movimentou o setor e ganhou popularidade em pouco tempo. 

Desenvolvido por uma empresa israelita chamada Mirabilis, a sigla ICQ em inglês corresponde a “eu procuro por você” em português. 

Para utilizá-lo o usuário precisava baixar o software no seu computador, e a plataforma atribuía a ele uma identificação chamada de UIN (Unique Identification Number), que funcionava como se fosse um login e senha dos apps atuais. Cada pessoa tinha um próprio número com vários dígitos, o que significava a quantidade de pessoas cadastradas na rede. 

Com um layout bem simples, a plataforma contava com recursos de busca de pessoas por nome, cidade, país, e-mail, sexo, entre outros. Dessa forma, era possível localizar perfis com apenas essas informações ou ainda conversar com pessoas de países diferentes. 

E se você gosta de nostalgia, saiba que o ICQ existe até hoje! Com recursos e carinha mais moderna, a plataforma continua sendo utilizada com frequência nos países como: Alemanha e Estados Unidos. 

2002 – Friendster

evolução das redes sociais

Com o objetivo de expandir as redes de contatos e amizades entre os usuários de uma rede social de uma forma mais segura, o Friendster possibilitava uma análise de perfil e mensagens, antes de promover a interação entre as pessoas. 

Mas, com o tempo acabaram surgindo também os perfis falsos, os popularmente conhecidos como “Fakes”, no entanto, identificá-los era uma atitude de responsabilidade do próprio usuário. 

A ferramenta ganhou popularidade de forma muito rápida, e com apenas 3 meses de funcionamento, chegou a atingir 3 milhões de internautas adeptos. 

No ano de 2015 o Friendster foi retirado do ar. 

2002 – Fotolog

evolução das redes sociais

Quem viveu a geração dos anos 2000, com certeza se recorda do Fotolog. O termo que nomeia a plataforma surgiu da integração entre “fotos e blogs” e consistia em uma espécie de site que fornecia aos usuários a possibilidade de publicar fotografias com textos que demonstravam suas ideias, sentimentos ou até mesmo humor.

Posteriormente, estas publicações poderiam ser comentadas ou seguidas pelos internautas que gostassem do conteúdo. Com uma proposta semelhante ao que vimos no Instagram atualmente, mas é claro, com uma gama de recursos mais modernos e tecnológicos. 

Vale ressaltar que para publicar essa imagem no Fotolog, era preciso baixá-la no computador e não fazer com praticidade que vemos hoje, onde é possível tirar uma foto diretamente pelo smartphone e automaticamente postar nas redes sociais. 

A plataforma já teve aproximadamente 32 milhões de usuários e mais de 600 milhões de fotos publicadas. 

Com o tempo, o Fotolog não acompanhou o desenvolvimento de outras ferramentas e estagnou, chegando ao esquecimento dos usuários posteriormente. 

2003- LinkedIn

evolução das redes sociais

Lançado por Reid Hoffman e vendido para a Microsoft em 2016, o LinkedIn possui uma proposta diferente das outras redes sociais que são voltadas preferencialmente para gerar entretenimento e interação.

Atualmente, a plataforma é considerada a maior rede profissional do mundo com aproximadamente 550 milhões de usuários em 200 países. 

O LinkedIn é usado pelos internautas para trocar conhecimentos, ampliar network, acompanhar as novidades, gerar oportunidades, e ainda fortalecer a imagem de uma empresa ou pessoa, de acordo com o mundo dos negócios. 

Atualmente, entre os diversos recursos disponíveis é possível: enviar mensagens privadas, participar de fóruns de discussão, compartilhar vídeos e até incluir anúncios para um público-alvo. 

Para se aproximar dos internautas cada vez mais conectados, o LinkedIn investiu nos últimos anos em atualizações e novos recursos, tornando-se referência no seu setor. 

2003 – MySpace

Essa ferramenta foi considerada uma das mais importantes do início do milênio. Criada por Tom Anderson, Jon Hart e Chris DeWolfe, o MySpace é direcionado para o público que deseja utilizar a mídia para divulgar produções artísticas. 

Dentre os recursos disponíveis na plataforma, podemos citar:  personalização do perfil, publicação de vídeos, trocas de mensagens instantâneas e compartilhamento de músicas.

O MySpace começou a perder força com a chegada avassaladora do Facebook. E atualmente, a empresa que detém os direitos da ferramenta estuda a possibilidade de vendê-la. 

2004 – Orkut

evolução das redes sociais

Recordado com muito saudosismo pelos os usuários, o Orkut marcou época. O site se tornou febre, e chegou a ter mais de 30 milhões de usuários brasileiros conectados. 

Para acessar a ferramenta era necessário receber um convite. Após aceitar, o usuário deveria configurar o seu perfil, fazer comentários e deixar mensagens para outras pessoas, além de fazer parte de comunidades com focos mais variados e temas super divertidos. Os internautas ainda podiam criar álbuns com imagens. 

A plataforma ficou ativa por 10 anos, mas acabou sendo descontinuada com o crescimento do Facebook e demais redes da época. 

2004- Facebook

evolução das redes sociais

Criado por Mark Zuckerberg, Dustin Moskovitz e Chris Hughes, o Facebook se tornou a rede social mais utilizada em todo o mundo. 

Desenvolvida inicialmente para promover a interação entre os universitários da Harvard e posteriormente de outras instituições americanas, a plataforma ganhou o gosto popular e a partir de 2006, a plataforma começou a autorizar o cadastro de qualquer pessoa com mais de 13 anos.

Nesse momento, um Boom ocorreu e com 1 ano, a plataforma já possuía 50 milhões de pessoas conectadas por todo o mundo.

Com o objetivo de encontrar pessoas e promover interações entre os usuários, o Facebook procurou continuamente investir em atualizações e novos recursos, para atender as expectativas e necessidades do mercado a todo momento. 

Posteriormente, após resistir à ideia por muito tempo, Mark Zumberg aceitou a proposta de vender espaços para publicidade dentro da plataforma, o que provocou uma mudança significativa nas formas de consumo em todo o mundo. 

Hoje a ferramenta conta com mais de 2,7 bilhões de usuários no mundo e possui diversos recursos de interação como: jogos onlines, grupos, eventos online e muito mais. 

2005 – Youtube

evolução das redes sociais

Desde o seu lançamento, o Youtube causou uma verdadeira revolução na forma como apresentamos e consumimos conteúdo no ambiente virtual.

O primeiro vídeo publicado na plataforma tem apenas 19 segundos de duração e mostra um dos seus fundadores, Chad Hurley, em uma visita a um zoológico. 

Posteriormente, com o crescimento no número de usuários ativos, a plataforma começou a ser observada pelas marcas. E a Nike foi a primeira empresa a lançar um vídeo de publicidade utilizando a plataforma. 

Atualmente, o Youtube é o segundo maior buscador da internet, ficando atrás apenas do Google. Com mais de 1,5 bilhões de usuários ativos todos os meses, o app ainda conta com uma usabilidade muito frequente e em constante crescimento, sendo que os usuários gastam em média 15 minutos assistindo a vídeos todos os dias. 

2006 – Twitter

evolução das redes sociais

Desenvolvido por Jack Dorsey, Evan Williams e Biz Stone, nos Estados Unidos, o Twitter tem como principal função oferecer uma rede social que possibilite a troca de informações por textos, fotografias e vídeos. 

As publicações devem ser divulgadas com apenas 140 caracteres para que o conteúdo seja publicado de forma sucinta e rápida. Isso deve-se principalmente, pelo pilar inicial da ferramenta: as mensagens enviadas por SMS. 

Os Trending Topics, recurso lançado posteriormente ao lançamento da plataforma, provocou ainda mais o crescimento do Twitter, visto que os usuários podem acompanhar os temas mais falados no mundo em tempo real. 

Atualmente, a plataforma possui 316 milhões de usuários ativos todos os meses, disponíveis em cerca de 35 idiomas diferentes. 

2010- Instagram

evolução das redes sociais

Criado por Kevin Systrom e o brasileiro Mike Krieger, esse aplicativo se tornou em pouco tempo um dos mais promissores da época.

O principal objetivo da ferramenta é promover o compartilhamento de fotos e vídeos, através da integração entre pessoas e empresas. 

Dentre as principais funcionalidades do app, estão: a utilização de filtros, boomerangs, stories dinâmicos por até 24 horas e transmissões ao vivo. 

Para promover ainda mais o engajamento entre os usuários, a plataforma conta com parceria de outros aplicativos que tornam os recursos ainda mais dinâmicos e divertidos. 

Observando o avanço no mercado do Instagram, o Facebook comprou o Instagram por cerca de 1 bilhão de dólares e no mesmo ano, a ferramenta foi disponibilizada para dispositivos Android. 

Atualmente, a plataforma conta com 1,15 bilhões de usuários em todo o mundo e é a principal mídia usada para publicidade de marcas. 

Neste artigo apresentamos as principais redes sociais que surgiram e se destacaram no mercado. As experiências de interação providas por elas possibilitaram uma mudança no ambiente digital e no comportamento das pessoas. 

Gostou do artigo? Se você quiser conhecer um pouco mais sobre marketing digital e as perspectivas para as novas mídias que surgem a todo momento, não deixe de se inscrever no e-Summit 2020, você nunca viu nada igual!! Clique aqui para adquirir o seu convite. 


Veja também esses materiais importantes