Casal realizando pagamento via celular com Pix
DestaqueDicas

PIX: Como funciona?

A novidade do mercado, amplamente divulgado pelo Banco Central, o PIX chega em novembro para ser, talvez, o substituto do TED e DOC. A principal diferença é a rapidez e disponibilidade que o PIX vai oferecer. 

Isso porque, tanto no TED quanto no DOC, se você realizar uma transferência, em uma sexta, após às 16h, possivelmente o dinheiro cairia na conta destino somente na segunda. Já com o PIX as transferências poderão ser feitas em qualquer dia e horário (mesmo aos finais de semana e feriados) com uma previsão de apenas 10 segundos para que o valor caia na conta escolhida.

Ou seja, teremos até 72h em um TED ou DOC contra 10 segundos do PIX.

Essa tecnologia foi inspirada no funcionamento de transferências de Bitcoin (que são praticamente instantâneas), embora o Pix seja centralizado nos servidores do Banco Central e o Bitcoin possuir a tecnologia Blockchain, onde os servidores que operam e confirmam a transação é decentralizada.

A velocidade das transações também vão de acordo com a realidade do mercado e consumo, o que permitirá, em um futuro bem próximo, mesmo sem um cartão de débito, que a minha compra em uma empresa física ou em um ecommerce seja realizada de forma instantânea. Esse é um ponto que deve ajudar bastante o giro de dinheiro no país, assim como facilitar para o empreendedor.

E ai nós temos o outro lado, o consumidor, que terá a facilidade de realizar uma transação, já que ao invés de precisar saber aqueles dados tradicionais de uma transferência bancária como nome, CPF, banco, agência e conta, agora existirá as CHAVES e será possível realizar uma transferência apenas sabendo o número de telefone ou e-mail da pessoa, por exemplo.

Em estabelecimentos físicos deverá ser muito utilizado o pagamento por QRCODE, que é aquele código quadradinho que apontamos a câmera do celular, essa forma de compra também favorece o momento atual, onde encostar nas maquininhas pode ser até arriscado devido ao COVID.

Os bancos entraram em uma verdadeira guerra para que os usuários cadastrem suas chaves com eles, pois uma vez cadastrado seu CPF como chave do PIX em um banco, todo dinheiro transferido para seu CPF cairá nele.

1. Quanto será cobrado por transferência ou pagamento?

Por ora, o Pix será gratuito para transferências por pessoas físicas. Mas os bancos serão livres para tarifar os usuários de pessoas jurídicas. Eles poderão cobrar tarifas, caso o sistema seja usado como meio de recebimento para vendas de produtos ou serviços.

2. Como o PIX deve ajudar na Black Friday?

O Banco central afirmou que essa nova tecnologia estará disponível para todos a partir do dia 16 de novembro, já que a Black Friday acontece em 27 de novembro, e esse deverá ser o grande teste para a comprovação da tecnologia, já que deverá haver uma movimentação de pelo menos 4 bilhões de reais, e a rapidez no processamento do pagamento deverá ser um grande atrativo para esquentar ainda mais o consumo na data.


Veja também esses materiais importantes