fbpx
3 dicas para começar a empreender nas mídias sociais
Parceiros

3 dicas para começar a empreender nas mídias sociais

Que a internet se torna cada vez mais importante na rotina das empresas atuais, já não é segredo para ninguém. O que nem todo mundo sabe é por que as mídias sociais fazem parte desse cenário, e como começar a empreender nelas.

De fato, a internet acabou se tornando um verdadeiro universo de possibilidades, o que tem vários lados positivos. Mas também um aspecto desafiador, no sentido de que muitos que estão chegando agora não sabem por onde começar.

Ao mesmo tempo, já se foi a época em que bastava uma marca criar um website institucional para poder dizer que havia se digitalizado. Hoje, esse processo é muito mais amplo, envolvendo várias frentes ao mesmo tempo.

Basicamente, uma marca de hambúrguer artesanal gourmet precisa criar uma verdadeira plataforma digital, caso queira desenvolver uma presença online. Também assim, isso vai exigir um know-how que já não é tão intuitivo, mas sim, exigente.

É justamente como parte desse contexto todo que as mídias sociais, também conhecidas como redes sociais, se inserem. Elas fazem parte de uma verdadeira revolução nos hábitos das pessoas, tanto em sentido comercial quanto pessoal.

Compreender esse ponto é de suma importância, pois ele é que indicará como exatamente uma empresa pode marcar presença nesse universo. Basta lembrarmos que, atualmente, a web está no que alguns chamam de Internet 4.0.

Nas primeiras versões, ainda nos anos 1990, tínhamos a 1.0, que indicava uma realidade consideravelmente limitada. Dizemos isso porque a internet, nessa época, não ia muito além de alguns websites estáticos e da troca de e-mails.

Só na versão 2.0 é que surgem plataformas um pouco mais interacionais. Um grande exemplo são as salas de bate-papos e os blogs. Nos dois casos, temos os antecedentes do que viriam a ser as redes sociais, tal como as conhecemos hoje.

Sendo que ambos já permitiam uma interação muito mais dinâmica. Como o blog de uma loja de móveis sob medida, em que a empresa já podia criar artigos educativos e gratuitos para seu público, que então fazia perguntas e comentários em cada página.

Com isso, os blogs e as salas de bate-papo representaram um salto de qualidade, até que vieram os grandes motores de busca, com a Internet 3.0. Mais recentemente, esse mercado foi dominado por sites como o Google, o Bing, o Yahoo e o Ask Brasil.

Mas o maior de todos é o Google, que trouxe a revolução dos algoritmos e parâmetros inteligentes, capazes de criar padrões sozinhos para posicionar nas primeiras páginas apenas os sites mais qualificados e bem desenvolvidos.

O interessante deles é que no começo tratava-se também de algo nichado, tal como as mídias sociais. Contudo, não demorou muito até que as próprias marcas descobrissem o potencial que tinham nas mãos, haja vista que o número de pessoas ali era enorme.

Ou seja, cada vez mais pessoas passavam boa parte do seu dia conectadas nessas plataformas. O que com o tempo permite que as marcas façam parte desse universo digital, com o intuito de chamar a atenção das pessoas certas, na hora certa.

Lembrando que o que a Internet 3.0 trouxe foi não apenas os buscadores, mas junto às próprias redes sociais. Agora uma empresa de instalação de banheira podia assumir um rosto diante dos seus clientes, falando com eles de igual para igual.

Em 2004 surgiram o Orkut e o Facebook, em 2005 o YouTube, e em 2010 o Instagram. Isto é, em menos de uma década as plataformas que mudariam o mundo foram surgindo, de modo espontâneo e como uma tendência natural e quase inevitável.

Atualmente, estamos na era da Internet 4.0, que traz inovações como o crescimento da Inteligência Artificial, do machine learning (aprendizado da máquina) e até questões técnicas e estruturais, como a conexão 5G, que permite vários avanços.

Por esse motivo, é fundamental falarmos cada vez mais sobre o assunto, como ao tratar das 3 melhores dicas para começar a empreender nas mídias sociais, pois isso já se tornou não apenas uma questão de diferencial, mas de sobrevivência.

No fundo, qualquer marca que quiser impactar as pessoas certas, na hora certa e no lugar certo, precisará dominar o seu segmento dentro das redes sociais. Porque hoje esse lugar é justamente essas plataformas, onde as pessoas passam boa parte do dia.

Tanto que qualquer tipo de empresa pode desfrutar desses benefícios, seja na área de fabricação de tecnologia ou na área de serviços, como assistência técnica apple. Não é o segmento que determinará o crescimento, mas a vontade e as estratégias.

Desta forma, se o seu interesse como leitor, empresário ou mesmo gestor de algum empreendimento é compreender de uma vez por todas como exatamente dar os passos iniciais nesses sites, então basta seguir com esta leitura até o fim.

O papel do e-commerce

Outro fenômeno que merece destaque foi a popularização e crescimento do e-commerce nos tempos atuais. 

Afinal, como vimos no início, não demorou até que esses sites despretensiosos percebessem o imenso potencial que eles tinham na mão. Que é, no fundo, o fato de eles terem milhões ou mesmo bilhões de usuários, o que gera uma audiência incrível.

Importância das mídias sociais

Trocando em miúdos, se uma empresa da área de projeto de piscina consegue fazer um bom serviço nas mídias sociais, ela pode impactar centenas ou mesmo milhares de pessoas interessadas em soluções ligadas a piscinas.

A assertividade que uma propaganda de rede social tem é muito maior do que a utilizada no rádio ou na televisão, décadas atrás, o que acaba desencadeando um tráfego de pessoas muito maior e muito melhor.

Assim, com as mídias sociais, é possível definir questões bem mais técnicas e ao mesmo tempo mais acessíveis, focando em um público-alvo mais certeiro, tais como:

  • Localização;
  • Faixa etária;
  • Profissão;
  • Horários de uso;
  • Interesses;
  • Hábitos.

Enfim, quanto mais subsídio você tiver sobre o perfil das pessoas que são seus clientes em potencial, mais eficiente vão ser suas ações.

Naturalmente, com o tempo isso se torna uma máquina de geração de leads e de oportunidades comerciais. O que, por sua vez, pode aumentar de modo considerável as vendas e resultados gerais de uma empresa.

Dicas para empreender nas mídias sociais

Veja a seguir algumas dicas práticas para começar a investir nas redes sociais:

1. Defina seu público-alvo

Falando em assertividade e definição de público-alvo, podemos começar lembrando que esse esforço é antigo. Porém, hoje ele é apenas o capítulo um de uma sequência muito maior, tanto que o termo mais preciso e atual é “persona”.

Basicamente, o público-alvo é apenas o contorno da sua plateia, cujos dados são mais superficiais, como localidade e poder aquisitivo.

Já quando falamos de persona, é preciso aprofundar consideravelmente o enfoque e a pesquisa dessas mesmas pessoas. Assim, além de descobrir o gênero ou idade do seu cliente ideal, você se pergunta quais os sonhos e expectativas pessoais dele.

Se você vende banner para aniversário personalizado, é preciso entrar na cabeça do consumidor e compreender, por exemplo, por que as pessoas ainda comemoram seu aniversário.

Além disso, você precisa se colocar no lugar delas, entender quais sites mais acessam, em quais redes sociais estão presentes, como consomem novidades e até quais séries e filmes elas mais gostam de assistir.

Com esse levantamento, você pode criar dois ou três perfis semi-fictícios, dando nome e até uma foto para eles. Com isso, cada ação de marketing que você fizer nas redes sociais, vai ser mirando em algo bem mais concreto.

2. Gere conteúdo valioso

Hoje as grandes marcas não vendem apenas um produto ou serviço. O que elas fazem é entregar uma solução completa, gerando uma experiência que seja memorável.

Por isso, ao empreender nas mídias sociais, você não pode pensar apenas em propagandas, anúncios, patrocínios e discursos explicitamente comerciais.

É preciso fazer o que se chama marketing de conteúdo. Com ele uma firma de mudanças e carretos informa seus preços, prazos, soluções, dicas e até algumas promoções malucas.

É possível também criar artigos e posts ricos em conteúdo, tudo isso de modo gratuito e original, sem copiar nada de outras marcas. Assim, a sua empresa começa a se tornar uma referência no segmento, provando seu diferencial.

Com o tempo, na hora que o cliente for pensar em comprar, sua marca é a primeira que virá na cabeça dele. Ou seja, você usou a rede social para criar uma relação de qualidade, pensando não apenas no curto prazo, mas por muito tempo. 

3- Humanização da marca

Por fim, depois de falar de tecnologias e algoritmos, é preciso lembrar da humanização da sua marca.

Para não cair no erro de tornar a comunicação fria e indiferente, uma oficina mecânica precisa usar os recursos mais informais das mídias sociais.

De fato, todo cliente já espera isso. De modo que sua marca pode usar emojis, memes, conteúdos mais irreverentes e com isso atrair uma multidão de pessoas.

Considerações finais

Acima, contextualizamos não apenas a importância de você aderir o e-commerce e as mídias sociais, mas também o contexto em que eles surgem.

De fato, ao seguir esses três pilares, você vai empreender uma ação muito mais assertiva, fortalecendo sua marca e conseguindo resultados incríveis.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos. 

 


Veja também esses materiais importantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

E-summit 2022